Processos internos: medos e grilos

keep-calm-and-partiu-austrália

Uma das perguntas que mais tenho ouvido ultimamente é: “mas já está tudo certo?“… e cada vez que está pergunta é feita um emaranhado de outras perguntas se desenrolam dentro da minha cabeça…

“Será que estou deixando passar algo?”; “Minhas malas deveriam estar prontas?”; “Será que essa pessoa tem noção de que existe um tempo máximo entre a viagem e aplicação do visto?”; “Estou atrasada para a compra da passagem?”; “Deveria já pedir as contas do meu trabalho?”; “Afinal onde ficarei durante meu intercâmbio?”; “O que é tudo?”; “Será que esta pergunta diz respeito ao meu estado emocional?”; “Devo começar a me despedir de amigos e familiares?”…

Acredite essa são apenas algumas perguntas que se passam em minha mente no breve espaço de tempo entre receber a pergunta e responder, com minha resposta padrão-decorada: “Já pagamos a escola!”.

Entre o planejamento e a execução de todo o processo uma série de dúvidas permeiam minha mente:

“será que vai dar tudo certo?”; “vale a pena arriscar tudo o que já conquistei?”; “será que já não estou muito velha para esse tipo de aventura?”; “o que deixo para trás?”; “como será viver longe das pessoas queridas?”; “e se precisar voltar…?….

E ainda há os que dizem: “como vocês são corajosos!”… Realmente admiro as pessoas desprendidas, que pegam seus mochilões e saem pelo mundo… Eu estou longe de ser essa pessoa, sou enraizada, sofro com pequenas mudanças, não consigo nem sequer imaginar como será minha vida longe das pessoas queridas… Procuro brincar que estarei logo ali, chamo todo mundo para passar férias na minha futura casa, acho que essa é a minha forma de tornar o processo menos doloroso.

Por muito tempo tive medo de estar longe. Longe da minha casa… dos meus amigos… da minha família… E se acontecesse algo? alguém poderia ficar doente… ou casar… talvez ter filhos. E eu estaria longe! E tudo isso poderia também acontecer comigo… Pensar que tudo isso pode sim acontecer não é fácil, mas afinal minha presença (ou ausência), de fato não modifica nada…

Hoje percebo o quanto o medo pode ser paralisante, e como me paralisei muitas vezes na vida… E não é só o medo que paralisa, se nessa leitura você entendeu que todos os que ouvem meus planos me apoiam e encorajam, doce ilusão… Há sempre os que desaprovam, criticam, sofrem pela possibilidade da distancia, antes mesmo que ela se efetive… E quantas vezes me pego pensando: “será que estou tomando a decisão certa?”, mas isso só o tempo dirá…

 

Gostou do conteúdo? Tem informações complementares? Alguma dúvida? Está neste processo? Comente aqui e vamos trocando figurinhas…
Quer nos ajudar nesta aventura? Não deixe de visitar a nossa lojinha, toda semana tem itens novos!!! (clique aqui)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s